Além da reforma da Ponte JK, ex-secretário informou que foram restaurados vários viadutos e que projetos em andamentos foram entregues mas paralisados por Rollemberg

Por: Elton Santos

Em entrevista veiculada pelo blog Brasília Em On, publicada nesta quarta-feira (07), o então responsável pela Secretaria de Juventude do governo Agnelo, Fernando Neto e que também participou da equipe de transição nos meses derradeiros de 2014, diverge do que defende o atual chefe da Casa Civil atual, Sérgio Sampaio.

Sampaio, em entrevista na manhã desta quarta-feira (para a BandNews, disse que o governo de Agnelo Queiroz tinha acesso de todas as notificações sobre problemas em viadutos, incluindo o que desabou ontem no Setor Bancário Sul.

Porém, o chefe da Casa Civil afirma que a atual gestão não tinha conhecimento dos apontamentos e alertas do Tribunal de Contas no início do governo. Mas não é bem isso que um ex-membro do governo petista afirma.

Ex-secretário garante que a informação dos problemas no viaduto desabado foi repassada especificamente para a atual gestão.

 

O chefe da Casa Civil, Sergio Sampaio, disse que a gestão de Agnelo Queiroz tinha disponível todos os alertas,

Fernando Neto – Ex-secretário de Juventude e membro da coordenação da equipe de transição Agnelo/Rollemberg

mas que essa gestão não teve conhecimento. Isso é verdade?

FN – É impossível. E é muito delicado por parte do atual chefe da Casa Civil, secretaria mais importante do governo fazer uma afirmação dessa. São documentos públicos, relatório do TCDF que tramita pelas secretarias responsáveis por obras de infraestrutura do DF, e além de ter sido apresentado no governo de transição (Agnelo para Rollemberg), todos os órgãos têm acesso a essas informações e acompanham diariamente. Se o atual governo não tinha essa informação em mãos, é por pura incompetência.

Se foi dado essa informação, porque o governo não tomou providências? Qual a sua opinião?

FN – Decisão de governo e negligência de informação. O governo Rodrigo Rollemberg tem feito opções. Prefere fazer compra de 400 novos radares e deixa hospitais sem raio-X A administração do Guará, no inicio do seu governo, trocou todo o meio-fio do Guará II, que estavam em bom estado e já haviam sido trocados em gestões anteriores. Iniciaram uma reforma no espaço Renato Russo, não concluiu a reforma e o espaço não estava nas mesmas condições do viaduto. Erro de decisão, simplesmente isso.

Mas podemos imputar culpa ao governo de Agnelo Queiroz também, já que não se fez as manutenções nos locais apontados pelo relatório do TCDF, não?

FN – Não, porque o governo Agnelo iniciou as obras e as reformas que estavam apontadas pelo relatório. Algumas foram concluídas e as outras foram deixadas para o atual governo dar continuidade. A reforma da ponte do Bragueto foi feita, a reforma da Ponte das Garças, a reforma das pontes que descem a lateral do Conic e Teatro Nacional foram feitas, inclusive parou o centro da cidade durante essas reformas. Só não foram concluídas todas porque o governo não foi reeleito, se tivesse sido reeleito teria concluído todas as obras.

O diretor do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal, Henrique Luduvice, foi exonerado do cargo na tarde desta quarta-feira (7). O anúncio foi feito pelo Palácio do Buriti um dia após ao desabamento do referido viaduto localizado na Galeria dos Estados, no início da Asa Sul.

fonte: Brasília em On